O que é ?


No Made4Flow uma interface classificada é utilizado para dizer qual o tipo de interface ou grupo de interface pertence uma determinada Interface, VLAN ou interface logica em seu Roteador.

Nós podemos também gerar gráficos sumarizados de todas as interfaces classificadas em um mesmo grupo nas dashboards inicial e personalizada.


Dependendo de como você classifica uma interface o Made4Flow pode processar algumas partes do dados de forma diferente do padrão, isso é gerando uma informação mais fidedigna e também uma analise mais fácil por parte de quem opera nosso software.

Podemos citar um exemplo desse comportamento na Analise de Spoofing, se classificarmos a interface como Cliente está interface é ira checar se existe Spoofing de trafego no sentido de Entrada (IN) do trafego. Já em uma interface classificada como Transito a classificação de Spoofing será marcada no sentido de Saida (OUT).

Como acessar ?

Menu -> Cadastros -> Classificação de Interfaces

Porque classificar com o tipo correto ?


É uma boa pratica que a classificação de interface seja configurado de forma correta, para que nos gráficos e informações do Software não exista informações diferentes da realidade, assim passando a sensação de imprecisão no Software

Quais os tipos de classificação ?


A classificação é uma expressão da realidade do produto que você compra/vende, então imagine que a classificação do tipo da interface é você dizer ao nosso Software qual(is) é o tipo dessa interface, que pode ser desde um Transito, PTT/IX, CDN entre outras. Nos criamos os principais tipos de classificação interfaces, vamos dar uma breve explicação sobre cada um deles abaixo:


Cliente - Essa interface pode ser classificada como um cliente ou uma interface que é a saída de trafego para sua rede interna/Core interno.

Transito – Essa interface são os seus fornecedores/upstreams de Transito IP, geralmente nessa interface você recebe seus full-routing’s e tem acesso a toda internet através dela. Exemplo de interface que Transito são: Transito com a Level3/Century Link, Transito com Cogent, Transito com NTT.


IX / PTT – Internet Exchange/ Ponto de Troca de Trafego são as interfaces que você se conecta ao IX/PTT, que pode ser no ATM (Acordo de Troca Multilateral) e geralmente os IX/PTT tem VLAN’s diferentes para IPv4 e IPv6, você precisa classificar ambas as interfaces de IPv4 e IPv6 para correto funcionamento e analise desse trafego. Exemplo de interface são: VLAN de IPv4 conectado ao IX.BR São Paulo.

Peering – Uma interface de peering, pode ser uma interface conectada a um parceiro ou algum outro ASN que você entrega seu trafego por esse caminho, geralmente interfaces de Peerings são somente de troca entre os ASN em questão. Este tipo de peering pode ser taxado pela utilização de banda. Exemplo: Peering entre o ASN 1 e o ASN2 atraves de uma fibra direto na cidade São Paulo.

PNI – Grandes geradores de conteúdos como: Google, Facebook, Riot, Amazon tem conexão em vários datacenters do mundo e possibilitam a conectividade direta entre o seu ASN e eles se ambos tiverem equipamentos no mesmo Datacenter, essas conexões levam o nome de PNI. Exemplo: No datacenter Equinix SP4, o ASN1 e o Google tem equipamentos e solicitam um cross-connect(cabo/fibra optica entre um e outro dentro do Datacenter) e assim estabelecem um PNI.

Free Peering – Você pode estabelecer um Peering ou conectividade com outro ASN sem custos, assim o trafego que atravessa esta conexão não é taxado, talvez melhorando a conectividade e latência entre as redes. Exemplo: Na cidade de São Paulo, provedor A e B se conectam para que seus clientes troquem trafego sem precisa utilizar links de Transito/IX/PTT.

CDN – São as interfaces que conectam diretamente ao Servidores de CDN enviado pelos grandes geradores da internet como: Google, Netflix, Facebook e Akamai. Exemplo: interface que liga o Roteador ao CDN do Google.

IP Confinado / Restrito – Algumas operadoras e ISP regionais vendem um produto contendo somente acesso aos CDN locais e IX que essa operadora se conecta, na maioria dos casos o nome deste produto é confinado ou Restrito. Nesse tipo de conectividade podemos ver que o trafego é somente que vem pelo IX/PTT ou por CDN que estão dentro da Operadora ou ISP Regional. Exemplo: A operadora 8 vende somente acesso ao seus CDN e IX que ela se conecta.

Transito CDN – Alguns ISP regionais vendem produto que é entregue somente o acesso aos seus CDN’s. Exemplo: ISP 1 vende o acesso a CDN do Google e Facebook por uma interface.

Transito IX / PTT – Alguns ISP regionais vendem um produto que é somente entregue as rotas dos IX/PTT que ela se conecta, com isso esse produto tem somente o acesso destas rotas, não sendo o acesso a toda a internet. Exemplo: Operadora 1 vende somente IX/PTT São Paulo e IX/PTT Ceará nesta interface.

Intra Routers – Este tipo é usado para contabilizar o trafego entre seus roteadores, um exemplo seria: você tem 2 roteadores e você conecta eles através de um iBGP através desta interface, todo o trafego entre os roteadores é classificado como Intra Routers.

CGNAT – Este tipo é usado para interfaces conectadas diretamente aos seus equipamentos de CGNAT (Carrier-Grade NAT). Exemplo: Interface que se conecta ao A10 Thunder.

Não Classificado – Este é o tipo padrão de todas as interfaces. Caso você não classifique as interfaces, elas estarão nesse tipo. Este tipo não altera o comportamento de Spoofing.

Caso você tenha algum outro tipo de classificação você pode entrar em contato com nosso suporte que iremos cadastrar para você.

Ou caso você tenha duvidas, você pode chamar nosso time de suporte através do chat.

Veja também o nosso vídeo tutorial:

Encontrou sua resposta?